Descubra agora seus direitos e deveres ao viajar de avião com animais

Descubra agora seus direitos e deveres ao viajar de avião com animais

Alguns tutores não desgrudam de seu animal de estimação por nada — seus pets são vistos, na verdade, como membros da família. Existe todo cuidado e atenção com eles nos mínimos detalhes. Por isso, viajar de avião com animais se torna cada vez mais comum.

No entanto, essa prática requer alguns conhecimentos sobre os seus direitos e deveres. Cada companhia aérea tem regras e você deve escolher a que mais se adapta a seu pet. Da mesma forma, o usuário também tem seus direitos e deve aproveitá-los.

Confira, neste artigo, o que é exigido para que seu animal viaje com você tranquilamente por meio do transporte aéreo. Continue a leitura e acompanhe!

Quais as exigências da ANAC para viajar com animais?

Há duas exigências cobradas pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) aos tutores que viajam com seus pets. Uma delas é a apresentação da carteira de vacinação, contendo a vacina antirrábica, tomada entre 30 dias e 12 meses antes do embarque.

A outra solicitação é que o animal esteja saudável no momento da viagem — situação que deve ser comprovada por meio de um atestado médico veterinário, com validade de 10 dias da data de emissão.

Quais as regras das empresas para viajar de avião com animais de estimação?

Há sim a possibilidade de viajar de avião com animais, desde que atendam algumas regras estipuladas pelas empresas de aviação.

Para começar, o pet deve estar em uma caixa de transporte (kennel aéreo) de tamanho adequado —, que permita que ele fique em pé e dê uma volta em torno de si mesmo.

Essa caixa deve se localizar, durante a viagem, embaixo do banco do tutor. Existem companhias que só autorizam a permanência do animalzinho no porão do avião.

Outras, dependendo do tamanho do cão, permitem que o dono viaje ao lado de seu bichinho, porém, como mencionamos, embaixo do assento. As empresas que permitem essa opção, estipulam um número de animais limite. Se ultrapassado, o restante só poderá viajar no porão da aeronave junto com a bagagem.

Cães-guia e cães-ouvinte têm, por lei, o direito de viajar gratuitamente em qualquer companhia aérea ao lado do tutor. Contudo, sua acomodação deve ser organizada de maneira que não obstrua a circulação de outros passageiros pela aeronave, bem como não atrapalhe as saídas de emergência.

Quais são as regras de cada empresa quanto à permanência de animais nas aeronaves?

Apesar de as empresas de aviação terem que seguir as exigências da ANAC quanto ao transporte de animais de estimação, algumas delas estipulam suas próprias regras. Isso envolve também uma variação de custos e taxas.

O embarque de pets na LATAM, GOL, AZUL e AVIANCA têm regras bem parecidas, porém pode haver variação de uma para outra. Por isso, é imprescindível consultá-las para saber mais detalhes. Veja alguns deles abaixo:

AZUL

Se o tutor obedecer às exigências solicitadas pela empresa, como tamanho da caixa de transporte e do animal, é possível levar o pet dentro da cabine. Contudo, só é permitido que cada passageiro leve um animal, e em cada voo tenha, no máximo, três animais a bordo.

LATAM

A companhia autoriza que os animais de estimação viajem dentro da cabine de passageiros, mas somente cães e gatos. A carga deve ser inferior a 7 kg (15 libras), somando o peso da caixa de transporte. O pet deve ter um comportamento dócil e, no mínimo, 8 semanas de vida — em viagens para os EUA é permitido com 4 semanas.

GOL

Seu gato ou cachorro também pode viajar na cabine de passageiros. O serviço está disponível em todos os voos da GOL, tanto na Classe Econômica quanto na Premium Economy.

AVIANCA

A empresa não oferece o serviço de transporte de animal de estimação na cabine para reservas conjugadas com outras companhias aéreas (Interline). Então se em sua reserva houver algum trecho com escala, operado por outra companhia, é preciso verificar as condições e regras estipuladas quanto ao transporte de pets junto à empresa operadora do voo.

Existe um custo no transporte de animais no compartimento de carga — o porão de voo. O melhor a fazer é verificar as exigências da empresa, sendo que o serviço não está disponível para viagens internacionais.

O que fazer para acalmar seu pet durante a viagem?

A administração de tranquilizantes não é recomendada, a não ser para casos específicos indicados pelo médico veterinário do animal de estimação, ou em viagens muito longas que podem causar maior estresse ao bichinho.

Nessas situações, é indicado dar preferência aos produtos naturais e fazer um teste antes da viagem para saber a reação do pet com o medicamento. Entretanto, vale ressaltar que algumas empresas proíbem animais sedados no interior do avião.

Como preparar psicologicamente seu pet antes da viagem de avião?

A primeira coisa a se pensar quando viajamos de avião com o pet é na preparação. Uma dica importante é acostumá-lo com a caixa de transporte, já que ficará dentro dela por horas. O ideal é fazer associações positivas, como incentivá-lo a entrar jogando um brinquedo ou um petisco. Assim, no momento da viagem ele estará mais familiarizado com a permanência no local.

Outra sugestão importante é manter a calma, pois o estresse do tutor pode ser passado para o pet — cães e gatos percebem quando estamos nervosos. Portanto, é preciso manter a calma para que esse momento ocorra da forma mais tranquila possível.

Dicas para o embarque de animais em viagens aéreas:

  • se a viagem é composta por mais de uma companhia aérea, consulte todas elas antes de embarcar;
  • verifique também se há nas localidades para onde deseja ir, restrições impostas por autoridades sanitárias locais. As exigências mudam conforme cada país e, até mesmo, entre os estados brasileiros;
  • a sedação não é indicada e em algumas empresas aéreas é proibida;
  • mantenha a higiene de seu animal impecável ao embarcar;
  • alimente seu pet com pouca quantidade de refeição, até duas horas que antecedem o voo, para não ocorrer imprevistos e desconforto no animal;
  • ao chegar no destino, seu pet deve ser alimentado e beber bastante água para evitar a desidratação comum em viagens de avião;
  • se o pet viajar no compartimento de carga, o piloto e a tripulação devem ter ciência, para que mantenham o local em boas condições, bem ventilado e na temperatura ideal para o conforto do bichinho.

Viu como é possível viajar de avião com animais de estimação? Basta seguir nossas dicas e verificar as orientações e regras de cada companhia aérea, para que não ocorram problemas no voo. Pense em primeiro lugar no conforto de seu pet e não esqueça de tirar qualquer dúvida com o veterinário sobre um possível estresse do animal durante a viagem.

Gostou deste post? Esclareceu o assunto para você? Continue, então, em nosso blog e leia também outro artigo muito interessante sobre a importância e benefícios de passear com o cachorro.

Fique por dentro das novidades