Pet com cotovelos e patas ressecadas? Saiba o que fazer! - docg.

Pet com cotovelos e patas ressecadas? Saiba o que fazer!

Assim como ocorre com os seres humanos, os cães também podem apresentar ressecamento na pele, fazendo com que os donos precisem ficar atentos a possível problemas na saúde dos peludos, como calos, coceira excessiva e até mesmo feridas mais sérias. E entre esses problemas, cotovelos e patas ressecadas estão entre os mais fáceis de serem observados, visto que são locais que geralmente contam com menos pelos.

Apesar de muitos tutores não entenderem o motivo do problema, ele deve ser tratado assim que for observado. Por isso, levar o cão ao veterinário é a primeira medida para que se tenha um diagnóstico correto do que deve estar causando o ressecamento e assim começar com ações para evitar que se agrave, como a hidratação das regiões atingidas.

Neste post, você aprende mais sobre o ressecamento de patas e cotovelos e o que fazer para evitar esse transtorno para seu pet. Continue a leitura e confira!

Quais os principais cuidados com cotovelos e patas ressecadas?

Para que o problema não evolua, causando transtornos para seu peludo como feridas, coceiras frequentes e até calos que podem provocar dor no animal, alguns cuidados merecem plena atenção do tutor. Veja quais são eles!

Consulte o veterinário

A primeira medida a ser tomada quando o tutor perceber o problema é levar o animal a uma consulta com o veterinário. Assim, o profissional investigará o caso e passará as orientações necessárias a respeito das providências que devem ser tomadas.

É importante ressaltar que cada problema cutâneo pode ter uma origem específica e necessita de um tratamento diferenciado. E para que isso seja resolvido o mais rápido possível, nada melhor do que recorrer à ajuda de um profissional.

Hidrate a pele de seu cão

Utilizar hidratante é uma medida que não causa nenhum efeito negativo ao pet e pode servir como paliativo até o veterinário encontrar a real causa do problema. Hoje em dia existem excelentes produtos específicos para cães que podem ajudar nessa questão.

Reduza a exposição ao sol

Embora seja excelente para a saúde do cão, exagerar na exposição ao sol pode ocasionar ressecamento da pele do cachorro, provocando irritação e até queimaduras, principalmente em cães com pelo curto. Por isso, exponha sim seu pet ao sol, mas sempre com moderação.

Vale lembrar que cães que vivem muito dentro de casa são ainda mais vulneráveis, principalmente no verão, quando os raios ultravioletas são muito agressivos e podem causar lesões no animal. Por isso, ao fazer passeios com seu bichinho, prefira as horas mais frescas, de manhã bem cedo ou à tardinha.

Evite o excesso de banho

Diferentemente do ser humano, o cão não necessita tomar banho todos os dias. Banhos frequentes não são aconselháveis, visto que acabam retirando a camada de proteção natural presente na pele dos cães e que combate agressores externos.

Essa proteção será prejudicada principalmente se o banho conter muitos produtos que contribuem ainda mais para eliminar essa defesa. Nesse caso, as consequências podem ser graves, dentre elas o ressecamento. A orientação é que o banho ocorra uma vez ao mês. Caso seu cão se suje demais, uma alternativa pode ser o banho seco, no qual não haverá a utilização de água, além de escová-lo com frequência.

Confira se não há presença de parasitas

Parasitas como pulgas e carrapatos também são responsáveis por ressecamentos na pele dos pets. E como essas pragas provocam coceira, o problema se agrava, acabando muitas vezes em feridas na região.

Por isso, ao perceber que o animal está com ressecamento e coceira, verifique bem o pelo de seu cão e, se constatar o problema, leve-o ao veterinário para que a situação não evolua, recebendo as melhores orientações sobre como resolver o problema.

Verifique se ele está com alergias e outras doenças

Problemas como alergias são causadores de cotovelos e patas ressecadas, principalmente porque geralmente causam coceira. Nesse caso, caberá ao veterinário investigar o que deve estar causando o problema.

Evite exposição a temperaturas baixas

Temperaturas muito baixas contribuem para que os cães com pelos curtos e tosados sofram com o inverno. Por isso, é importante que o tutor os proteja com roupinhas e cobertores à noite, para que não sofram com o frio e ao mesmo tempo escapem do ressecamento, tão comum em dias mais frios. Hidratar os pelos nesse período também é fundamental.

Escove regularmente o pelo de seu pet

Uma vez que seus bichinhos rolam e deitam no chão, brincam em gramados e quintais e fazem outras atividades do tipo, a escovação é fundamental para manter os pelos mais limpos saudáveis, retirando os que já estão mortos e possíveis sujeiras presentes na pelagem.

Nesse sentido, a escovação contribui também para desobstruir a superfície da derme, evitando a acumulação de caspa. Lembre-se que todos os cães precisam ser escovados com frequência, sendo necessária uma atenção ainda maior para aqueles que possuem pelo longo.

Ofereça bastante água

No inverno, há também muita necessidade de hidratação. Por isso, lembre-se de oferecer água em abundância ao seu pet durante esse período. Afinal, a sede diminui em um clima frio, o que pode causar a desidratação do bichinho. A falta de água no organismo também é responsável por uma série de problemas que vão desde a pele ressecada até alguns mais sérios, como os renais.

Como tratar as patas ressecadas do seu cachorro?

Para manter as patas de seu cão sempre bem cuidadas, além de tosar os pelos, as unhas também devem ser devidamente cortadas. Além disso, evite passear com seu pet em dias muito quentes e com sol forte, já que suas patas são sensíveis e podem sofrer queimaduras, além de ficarem extremamente ressecadas.

Por que alguns animais desenvolvem calos nos cotovelos?

Os calos são mais comuns em raças de cães de grande porte, ocorrendo principalmente devido ao peso do animal. Quanto maior for a raça, maior será a probabilidade de desenvolver calosidades nos cotovelos. Por isso, raças como dogue alemão, mastim napolitano e labrador precisam de cuidados especiais nessa região.

As raças menores, porém, não estão livres do problema, necessitando igualmente de cuidados. Vale lembrar que cadelas prenhas e lactantes também têm uma probabilidade grande de desenvolver calos e escaras devido a ficarem muito tempo em posição de decúbito. Além disso, animais predispostos ao problema devem dormir em locais forrados com colchonetes, camas suspensas ou aquelas tradicionais para pets.

Nem sempre é fácil identificar o que causa o problema de cotovelos e patas ressecadas. Por isso, é importante levar seu pet ao veterinário e obter um diagnóstico mais preciso, tendo a certeza de que nenhuma outra enfermidade está acometendo seu peludo. Afinal, é essencial garantir esse cuidado para poder iniciar o tratamento o mais rápido possível.

Gostou deste post? Seu cão apresenta problemas de ressecamento? Busque a ajuda de um veterinário e entenda mais sobre os melhores produtos para tratá-lo!

Fique por dentro das novidades