Gestão de estoque para o seu pet shop: confira as 5 melhores dicas - docg.

Gestão de estoque para o seu pet shop: confira as 5 melhores dicas

Para que um empreendimento prospere e obtenha mais lucros, uma parte importante de sua atuação consiste em minimizar gastos e otimizar as entradas e saídas financeiras.

Fazer uma boa gestão de estoque, nesse sentido, é crucial. Afinal, quando você entende os produtos que possuem maior ou menor circulação e evita os desperdícios, diminui as perdas e deixa de gastar dinheiro além do necessário.

Pensando nisso, para ajudar você a aprimorar seu negócio, reunimos neste post 6 dicas incríveis para fazer o gerenciamento do seu estoque de maneira mais eficiente. Basta continuar lendo o texto para conferir e começar a colocar todas as iniciativas em prática!

1. Controle a validade dos produtos

Em um pet shop, você trabalha com muitos itens perecíveis. No entanto, em meio a tantas opções, é comum que a data de validade dos produtos fique em segundo plano e passe despercebida.

Entretanto, deixar de ficar atento a isso é um erro grave. Em primeiro lugar, comerciar produtos vencidos aos clientes pode gerar muita dor de cabeça. Você pode gastar muito com a troca e ainda corre o risco de ter que indenizá-los, caso aconteça algo com os animais.

Em segundo lugar, se você não tiver uma boa política de controle de validade na sua gestão de estoque, certamente isso vai resultar em perdas e problemas com a fiscalização. Neste caso, poderá receber multas onerosas e ter dificuldades para a expedição de futuros alvarás.

Portanto, sempre coloque os itens mais antigos na frente dos recentes. E se você perceber que a saída do produto não estiver boa, pode fazer promoções para queimar o estoque antes do vencimento e investir em menor quantidade da próxima vez.

2. Monitore suas vendas constantemente

Para ter um acervo de produtos bem ajustado é fundamental entender como é a rotatividade do seu negócio. Para isso, uma das ações mais relevantes dentro da gestão de estoque é observar a relação entre o estoque e as vendas.

Pense no perfil do seu empreendimento. Analise os produtos que saem mais, aqueles que demoram para serem vendidos e as perdas. Cruze esses dados com as datas de validade dos produtos perecíveis, o tempo que levam para saírem do seu estoque e a frequência de compra.

Dessa forma, será bem mais fácil entender quando comprar cada produto e vislumbrar seu maior gargalo de desperdício. Com isso, mesmo que o fornecedor esteja com uma ótima promoção, você não vai se sentir tentado a adquirir algo que depois ficará parado nos depósitos até vencer, por exemplo, ou aparentar estar velho.

3. Controle as entradas e as saídas para melhorar sua gestão de estoque

Saber o que entra e o que sai é um passo fundamental para evitar itens acumulados ou em falta e garantir um estoque bem ajustado. Por isso, seja rigoroso. Existem softwares específicos para ajudar você na gestão dos seus depósitos.

Basta que você dê entrada em todos os itens no momento em que chegam e não se esqueça de dar a saída. Coloque lembretes com relação à data de validade ou outros pormenores que julgar importantes. Você terá sempre a exata noção do que está sobrando, do que está quase acabando e do que deve ser vendido na frente.

4. Cuidado ao negociar com os fornecedores

Hoje em dia é muito fácil encontrar fornecedores e realizar compras que chegam rápido. Justamente por isso, muitos deles oferecem grandes descontos dependendo da quantidade de itens que você adquirir.

Entretanto, isso pode ser uma grande armadilha, pois, dependendo do produto, seu empreendimento pode não absorver a compra, deixando seu dinheiro — que poderia estar investido em outras coisas — parado.

Assim, a melhor maneira de negociar com os fornecedores hoje em dia é realizando contratos por tempo determinado ou, por exemplo, de exclusividade. Você se comprometeria a comprar uma determinada quantidade por mês ou ganharia um bom desconto por adquirir itens apenas daquela empresa.

Porém, antes de fechar qualquer contrato faça uma análise de viabilidade para entender se aquele produto tem saída na sua empresa e se você tem capacidade de vender ou gastar a quantidade estimada no tempo contratado.

5. Planeje suas compras

Programar as compras é uma ferramenta importante na gestão de estoque. Entretanto, para que isso seja possível, você precisa conhecer profundamente as suas demandas. Isso quer dizer que deve entender quanto de cada item você gasta ou vende por mês, considerando eventos sazonais como as festas de fim de ano e as férias.

A vantagem disso é que você consegue entender o ritmo de venda e uso dos produtos e consegue planejar quando será a próxima compra. Com isso, estará sempre com o estoque ajustado e pode aproveitar promoções de maneira consciente, além de não correr o risco de ter que comprar mais caro na hora da urgência.

6. Crie um estoque mínimo

Compreender o seu estoque mínimo é essencial para o planejamento das compras. É a partir desse cálculo que você saberá exatamente qual o momento ideal para fazer a compra ao relacionar o tempo que leva para o pedido chegar ao seu estabelecimento e o tempo que o estoque vai levar para acabar.

Parece complicado, mas não é tanto quanto você pensa. Tome como exemplo o xampu para cães. Se você gasta em média um vidro para cada seis banhos e dá, aproximadamente, um banho por dia, sabe que precisaria de um vidro a cada seis dias, certo?

Se você levar em conta que o fornecedor do nosso exemplo leva duas semanas para entregar o seu pedido, quando seu estoque chegar a no máximo 3 frascos está na hora de solicitar uma nova remessa.

Assim, você terá a autonomia necessária e não corre o risco de ficar sem o produto caso ocorra algum contratempo, como um aumento inesperado na demanda.

Com esses cuidados, você estará sempre com seus depósitos em dia, diminuir o desperdício e evitar gastar com itens que não eram necessários naquele momento.

Gostou do conteúdo sobre gestão de estoque? Então, continue com a gente e descubra como montar um pet shop de sucesso.

Fique por dentro das novidades