Fique por dentro de 9 cuidados com filhotes que são indispensáveis
Fique por dentro de 9 cuidados com filhotes que são indispensáveis

Fique por dentro de 9 cuidados com filhotes que são indispensáveis

A infância é uma fase cheia de descobertas, mas que demanda um bom zelo por parte dos pais e responsáveis das crianças, certo? No caso dos animais de estimação, isso não é diferente. Por isso, precisamos conversar sobre os principais cuidados com filhotes de cães e gatos.

Enquanto são considerados filhotes, os pets estão a pleno desenvolvimento, tanto físico quanto mental. Por conta disso, é essencial que cuidados especiais sejam destinados a essas criaturinhas, para que elas cresçam saudáveis e tenham uma vida longa e feliz.

Não sabe quais cuidados são esses? Então, basta continuar a leitura e conferir algumas informações importantes sobre o tratamento que deve ser dado aos filhotes de pets para que eles tenham uma infância de qualidade e cheguem à vida adulta muito saudáveis!

1. Prepare o ambiente e previna acidentes

Assim como as crianças, os filhotes de cães e gatos estão propensos a sofrer acidentes. Durante essa fase da vida, eles estão descobrindo o mundo e cheios de curiosidade, além de ainda serem inocentes quanto aos perigos do mundo real. Por isso, os tutores devem deixar o ambiente seguro para abrigar as brincadeiras e descobertas dos pequenos.

Algumas dicas importantes são: mantenha produtos de limpeza, medicamentos e alimentos longe do alcance dos filhotes, seja em prateleiras altas ou com o uso de ferramentas para trancar os armários; não tenha toalhas longas na mesa, que podem ser puxadas e gerar ferimentos e queimaduras; restrinja o acesso dos animais aos ambientes perigosos, etc.

2. Compre os produtos adequados

O organismo de filhotes funciona de modo muito diferente do de animais adultos e idosos. Devido a todas essas particularidades, é sempre recomendado que se compre produtos específicos para essa faixa etária, preferencialmente em petshops e lojas especializadas em saúde e bem-estar animal.

Exemplos de produtos específicos são as linhas de cosméticos para filhotes, que respeitam as particularidades dessa fase da vida e trazem segurança e proteção para a pele e o pelo dos animaizinhos. Outras dicas envolvem a alimentação, que veremos mais à frente, e a compra de brinquedos seguros para os pequenos.

3. Dê as vacinas certas

Cães e gatos pequenos ainda não têm o sistema imunológico completamente desenvolvido, o que significa que eles têm um risco muito maior de desenvolver doenças sérias e potencialmente fatais. Para protegê-los contra essas enfermidades, a vacinação é sempre o melhor método preventivo.

A vacinação começa, normalmente, a partir do 45º. dia de vida do animal e é repetida em várias doses subsequentes. Elas protegem os pets contra doenças como a raiva, cinomose, giardíase, gripe, leptospirose, parvovirose, leucemia felina, rinotraqueíte e muitas outras.

4. Providencie a vermifugação

Antes da vacinação, é necessária que a vermifugação do animal seja feita. Ela garante que o organismo dos bichinhos esteja realmente apto para receber a dose de vacina e gerar os anticorpos necessários para proteger o pet.

As vermifugações podem ser feitas em intervalos de 6 ou 4 meses, dependendo do medicamento utilizado. Após a primeira dose, a medicação deve ser repetida em 15 dias para garantir que todos os vermes sejam eliminados. Isso evita uma série de doenças, como a anemia, e faz com que a absorção de nutrientes do filhote seja completa.

5. Ofereça uma alimentação de qualidade

Já que estamos falando sobre nutrientes, que tal abordarmos a alimentação dos filhotes? Afinal, é por meio dela que todas as vitaminas e os minerais serão incorporados ao organismo dos bichinhos, certo?

Para nutrir os pets da maneira adequada, recomenda-se a escolha de rações premium ou superpremium, que garantirão todos os níveis diários de nutrientes. Além disso, é possível complementar a dieta com a ração úmida (latinha ou sachê), que contribuirá com uma dose extra de hidratação (fundamental especialmente para os gatos, que sofrem com problemas urinários e renais).

6. Cuide da higiene dos pets

A higienização adequada também é fundamental para garantir a saúde dos animais de estimação, especialmente enquanto eles estão criando defesas naturais contra o meio externo. O ambiente em que eles vivem deve ser sempre higienizado (preferencialmente com produtos de odor neutro e suave) e os pets também precisam de uma limpeza frequente.

Os banhos só são recomendados após 1 mês de vida (e podem ser mensais para cães e trimestrais para gatos) e devem ser dados sempre com água morna. Antes disso, é possível limpar a pelagem com um pano úmido. A escovação pode ser diária, no caso dos gatos; ou a cada dois dias, no caso dos cães. Além disso, a escovação dos dentes é recomendada cerca de 3 vezes por semana.

7. Comece o adestramento e socialização o quanto antes

Lidar com animais nem sempre é fácil, principalmente quando eles são medrosos, assustados ou agressivos. Isso dificulta não só os passeios, mas também as visitas ao veterinário para cuidar da saúde.

Por isso, comece o trabalho de socialização e de adestramento o quanto antes. Estabelecer limites e mostrar o mundo ao seu pet, fazendo com que ele interaja com outros animais e pessoas, é muito importante para que ele tenha qualidade de vida e possa receber os cuidados necessários durante toda a sua vida.

8. Considere a castração pediátrica

Outro ponto importante para garantir a longevidade e a qualidade de vida dos animais é a castração. Ela pode ser feita, na maioria das vezes, a partir dos 3 meses de vida do animalzinho, com uma recuperação muito mais rápida e um pós-operatório tranquilo.

Quando feita em filhotes, a castração traz uma série de benefícios como a redução do risco de cânceres (especialmente de mama e próstata) e de comportamentos inadequados (como a marcação de território com a urina). Além disso, os animais se tornam mais calmos e amorosos, reduzindo vários outros problemas comportamentais.

9. Leve o pet frequentemente ao veterinário

Uma das dicas mais importantes é: crie o hábito de levar o seu bichinho ao veterinário. Isso fará com que os cuidados com o seu amigo sejam preventivos e não de tratamento, ou seja, reduzirá consideravelmente as chances de que alguma doença se desenvolva e possibilitará que o diagnóstico dos problemas seja precoce.

Os filhotes devem fazer várias consultas nos primeiros meses de vida, a fim de observar o seu desenvolvimento e tomar as vacinas necessárias. Depois, a periodicidade pode mudar para uma consulta a cada 6 ou 12 meses, de acordo com os critérios do veterinário responsável.

Gostou de conhecer os principais cuidados com filhotes de cães e gatos? Agora que você sabe como cuidar de seu novo melhor amigo, não perca tempo e agende o quanto antes uma visita ao veterinário para garantir que tudo está certo com a saúde de seu pet!

Para conhecer outros produtos e saber mais sobre a saúde e o bem-estar dos animais de estimação, dê uma conferida em nosso site oficial e acesse informações importantes sobre o mundo pet.

Fique por dentro das novidades