Castração de cachorro: saiba mais sobre esse procedimento! - docg.

Castração de cachorro: saiba mais sobre esse procedimento!

A castração de cachorro é um assunto que causa muitas dúvidas entre os tutores de cães. Afinal, você deve castrar seu pet ou não? Será que esse procedimento cirúrgico é realmente necessário? E o temperamento do animal, será alterado? São muitas incertezas!

É importante ressaltar que além dessa alternativa ser muito eficaz para o controle populacional, ela também evita o abandono — tão comum atualmente, infelizmente. Além disso, traz alguns benefícios relevantes para a saúde de nossos amigos de quatro patas.

Na verdade, a castração é um procedimento seguro, e se você não quiser um filhote de seu cão, optar por ela é a melhor decisão. Ela impedirá que seu pet desenvolva alguns problemas de saúde, bem como tornará o macho tranquilo e bem menos agressivo.

Neste post, vamos falar sobre a importância da castração de seu cãozinho, seja macho ou fêmea. Você saberá os motivos pelos quais deve, sim, castrá-lo. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

Quais são benefícios que a castração traz para a saúde dos cães?

Castrar seu cão traz mais qualidade de vida e uma série de benefícios para a saúde de seu pet, evitando algumas doenças e conferindo uma maior longevidade, por exemplo. Confira quais são eles!

Elimina o risco de piometra

As fêmeas que não são castradas são muito mais vulneráveis a infecções uterinas. A castração evita o surgimento da piometra (infecção grave no útero) e reduz os riscos de tumores no útero e ovários — pois na cirurgia o aparelho reprodutor da fêmea é removido, eliminando, dessa forma, qualquer risco.

Reduz o risco de câncer de mama

Quanto mais cedo você castrar sua cadela (a partir da idade mínima recomendada), mais precocemente a protegerá do câncer de mama — doença comum em cadelas não castradas.

Acaba com a possibilidade de tumores testiculares em cães

Alguns tumores benignos e malignos que acometem os machos, surgem dentro dos testículos sem que ninguém perceba. Geralmente só são diagnosticados quando o cão já tem cerca de cinco anos de idade. Com a remoção dos testículos, que ocorre na castração, cessam os riscos.

Elimina a possibilidade de câncer de próstata

Um dos problemas mais comuns que envolvem cães machos não castrados é o surgimento de patologias na próstata em idade precoce. A castração evita também tais males.

Aumenta a expectativa de vida

Essa é a melhor notícia, não é mesmo? Além de a castração trazer para os cães uma melhor qualidade de vida, ela proporciona longevidade, possibilitando que os nossos queridos peludos fiquem ao nosso lado por mais tempo e livres das doenças mencionadas acima.

Quais são os benefícios da castração para o comportamento?

Os benefícios da castração não param na saúde do pet. Existem muitas vantagens relacionadas ao comportamento que você vai perceber bem rápido. Confira!

Reduz a agressividade

A castração de cães garante uma grande vantagem comportamental, que é a redução da agressividade, em especial para os machos, que são mais agressivos na idade adulta por conta da testosterona. Esse comportamento diminui em relação às pessoas e a outros cães.

Ao serem castrados, não há modificação no temperamento dos cães. Eles se mantêm carinhosos, apegados ao dono e brincalhões, porém bem mais tranquilos.

Acaba com a vontade do cão querer sair para “namorar”

Castrar seu amigo canino acabará com seu impulso de ir para a rua em busca de cadelas que estejam no cio, acabando também com os perigos que ocorrem quando o cão foge de casa.

Na verdade, os cães podem sentir as fêmeas no cio por meio dos feromônios — substâncias químicas liberadas pelas cadelas nesse período. Depois de castrados, eles não reagem mais quimicamente a essas substâncias e não têm o instinto de acasalar.

Reduz a marcação de território

A marcação de território por meio da urina diminui bastante com a castração de machos. Tutores de cães de guarda se beneficiam ainda mais, pois a atenção desses cachorros fica voltada apenas para a casa e a família, e não mais para cadelas no cio.

Finda com o sangramento

O sangramento durante o cio, comum em cadelas não castradas, causa uma série de transtornos para os tutores, visto que a cadela suja tudo por onde passa — dando um trabalho muito maior. Com a castração, ela não menstrua e, assim, mantém-se mais limpa. Os tapetes, sofás e as roupas dos humanos agradecem!

Evita a gravidez psicológica

Muitas fêmeas desenvolvem a gravidez psicológica, ou pseudociese, que faz com que haja produção de leite, aumento do volume abdominal e mudanças comportamentais bruscas. Isso acontece pela frustração de um cio que não resultou em uma gravidez real.

A cadela pode ter complicações de saúde como inflamações, piometra (infecção no útero), e tumores no sistema reprodutor, além de inchaço em suas mamas. Orienta-se que o tutor aos primeiros sintomas de gravidez psicológica, procure logo um veterinário de sua confiança.

Com a castração, a cadela não entra no cio. Portanto, não terá a frustração biológica que leva à pseudociese.

Quando a castração não é recomendada?

A castração é um procedimento bastante corriqueiro e, por isso, muito seguro. No entanto, as intervenções cirúrgicas jamais são recomendadas para todos os pacientes. Afinal, cada caso é um caso e uma série de fatores devem ser avaliados de forma personalizada e exclusiva.

Pacientes idosos, por exemplo, ou aqueles que sofrem com problemas de saúde crônico, podem ser candidatos a não fazer a castração. No entanto, mesmo esses animais podem ser tranquilamente liberados para a cirurgia. Tudo dependerá, novamente, de uma série de fatores.

Apenas o médico veterinário, após a realização de uma série de exames pré-operatórios (como testes cardíacos, hemogramas e exames de imagem) poderá determinar se o seu cãozinho está apto a passar pela castração.

Qual a melhor idade para castrar o cão?

Os veterinários recomendam que a castração de cachorro seja feita quando o bichinho é ainda bem jovem, com cerca de 1 ano de idade em machos, e antes do primeiro cio em fêmeas.

É importante ressaltar que quanto mais velho for o pet, mais complicado torna-se o procedimento. Países em que a castração é bastante incentivada orientam que ela seja feita em cães que tenham entre 6 e 9 meses.

Como é feito o procedimento?

Na castração, o cachorro macho tem seus dois testículos retirados — evitando a procriação e que ele com o tempo venha a sofrer de câncer testicular, entre outras doenças graves.

Na fêmea, o útero e os ovários são retirados, eliminando a possibilidade de desenvolver doenças, como a piometra (infecção uterina) e o câncer de mama, útero e ovários. Por conta disso, a incisão da fêmea requer mais cuidados, mas, ainda assim, é, atualmente, bem pequena.

Quais são os cuidados necessários no pós-operatório?

Após o procedimento, o veterinário faz algumas recomendações de cuidados ao tutor do cão que foi castrado, além de prescrever os medicamentos necessários. Orienta sobre a frequência dos curativos que devem ser feitos, principalmente, no caso de fêmea — já que ela passa por uma cirurgia mais invasiva.

Outra orientação importante é o uso do colar elisabetano — conhecido também como “cone da vergonha”, é um acessório de utilização fundamental até que ocorra a cicatrização. É recomendado para impedir que o cão retire os pontos com a boca.

Assim que seu pet chegar em casa, é recomendado deixá-lo em um local bem confortável e, de preferência, no nível do chão. Outra recomendação é que o espaço precisa estar escuro e silencioso, evitando o desconforto no animal. Ele também deve ser bem coberto e aquecido, já que uma das principais reações à anestesia é o frio intenso.

A seguir, conversaremos melhor sobre alguns dos cuidados indispensáveis durante o pós-operatório dos bichinhos de estimação. Confira:

Repouso

O animalzinho precisa, obrigatoriamente, descansar bastante após a cirurgia. Por isso, deixe-o repousar e não incentive brincadeiras e caminhadas, especialmente nos 3 primeiros dias após o procedimento. No caso de fêmeas, esse cuidado deve ser redobrado, já que a incisão é mais delicada e há o risco dos pontos quebrarem.

Limpeza da incisão

A limpeza da incisão deve sempre ser feita de acordo com as recomendações do médico veterinário e utilizando exclusivamente os produtos indicados por esse profissional. Cada animalzinho precisará de cuidados diferentes e, portanto, não há uma receita de bolo que funcione para todos os casos.

Medicação

Outro ponto muito importante é a medicação. Normalmente, após uma cirurgia são receitados anti-inflamatórios (que reduzem a inflamação), analgésicos (para a dor) e antibióticos. O maior cuidado está com essa última classe, que evita a proliferação bacteriana no animal, prevenindo infecções. As doses devem ser administradas sempre no horário exato, para evitar o fortalecimento dos micro-organismos.

Alimentação

Ao trazer o seu bichinho para casa, deixe comida e água à vontade, mas não o force a se alimentar. A náusea é um efeito muito comum da anestesia (vômitos também são recorrentes logo após a cirurgia) e, por isso, é comum que ele não queira comer logo de cara. Caso o quadro se mantenha igual por mais de 12 horas, entre em contato com o médico veterinário responsável para saber como proceder.

Há alguma desvantagem na realização desse procedimento?

Apesar de ser extremamente benéfica, a castração pode trazer algumas desvantagens para a saúde dos cães. Afinal, os hormônios são cortados do organismo do bichinho de modo inesperado e, por isso, podem ocorrer desequilíbrios.

O ‘’efeito colateral’’ mais comum é, sem dúvidas, a obesidade. Como o metabolismo do pet se torna mais lento e ele, inevitavelmente, se torna mais tranquilo, é comum que o acúmulo de gordura no corpo fique mais acentuado.

Esse problema, no entanto, é bastante simples de ser resolvido. Os cuidados com a dieta e a quantidade de alimentos são fundamentais nesse processo, mas o tutor também deve estimular a movimentação de seu grande amigo, fazendo passeios regulares e promovendo brincadeiras sempre que possível.

Quais são as possíveis complicações da castração?

Como toda cirurgia, há uma série de possíveis complicações para a castração. A principal delas está relacionada com a anestesia, mas outras ocorrências também podem acontecer.

No entanto, os exames pré-operatórios existem para minimizar essa possibilidade o máximo possível. Como mencionado anteriormente, a castração é um procedimento muito corriqueiro, feito todos os dias, e bastante seguro para os animais desde que todos os cuidados sejam tomados.

Converse sempre com o médico veterinário que acompanha o seu pet para tirar as suas dúvidas e expor os seus medos. É comum ter um certo receio na hora de operar um grande amigo, mas esse profissional poderá guiá-lo melhor e responder às suas perguntas.

Como você pôde conferir neste artigo, a castração de cachorro só vem a contribuir com a saúde e a qualidade de vida de seu cão. Não tenha mais dúvidas: se você não deseja nenhuma cria de seu pet, castre seu amigo peludo. Certamente, essa é a melhor decisão a ser tomada. Porém, não se esqueça de procurar um veterinário de sua confiança com uma boa experiência nesse procedimento.

Gostou deste post? Siga a nossa página no Facebook para acompanhar as nossas atualizações! Por lá, sempre produzimos conteúdos interessantes para nossos seguidores e divulgamos a publicação de novos artigos em nosso blog. Esperamos a sua visita!


Fique por dentro das novidades