Cachorro obeso: saiba como identificar e tratar o problema - docg.

Cachorro obeso: saiba como identificar e tratar o problema

Um cachorro obeso requer muita atenção e prudência de seus tutores. De fato, a obesidade em cães, assim como nos humanos, é preocupante — visto que pode causar algumas doenças sérias, como diabetes, artrite, problemas cardíacos, entre outras. Por isso, você deve ter todo cuidado com seu pet e evitar que ele adquira esse problema.

No entanto, se esse for o caso de seu animal de estimação, fique calmo, pois o problema pode ser revertido com algumas medidas e mudanças de hábitos. São alterações na rotina do pet que vão exigir de você muita dedicação e persistência.

Contudo, é preciso identificar se esse problema realmente existe e verificar se o seu cachorro está realmente obeso. Continue, então, lendo este artigo e entenda melhor sobre a obesidade canina, como prevenir, identificar e tratar esse mal. Acompanhe!

Obesidade é doença?

Um cachorro obeso vive, em média, cerca de dois anos e meio a menos que um saudável. Isso quer dizer que ele terá uma redução de 15% no seu tempo de vida. Daí a importância de manter seu cão bem longe dessa complicação.

Diante disso, ela é considerada sim uma doença e é muito preocupante, já que — se o problema não for contornado a tempo — poderá causar graves doenças, como diabetes, patologias cardíacas, tumores, problemas no pâncreas, infecções, problemas de mobilidade, entre outras, que vamos citar neste artigo.

Então, se você desconfia que seu cão está acima do peso, comece logo com as providências para que ele não comece a apresentar os problemas decorrentes desse mal.

Quais as causas da obesidade?

Inicialmente, o que causa a obesidade é a superalimentação, ou seja, o cão come em excesso. Isso, ligado a outras causas, como o sedentarismo, contribui para que o pet ganhe muito peso. Confira, então, as principais causas!

  • Superalimentação: verifique com o veterinário as porções que seu cão deve comer por dia e não dê nada mais além do que esse profissional recomendar;
  • sedentarismo: muitos donos de cachorros não dão importância aos exercícios diários que o cão deve fazer. Essa medida contribui muito para que o cão se mantenha no seu peso ideal;
  • problemas hormonais: esse problema atinge muitos cães, e com um exame laboratorial é possível saber suas dosagens e tratar o problema, se for o caso;
  • estresse: essa condição pode ocorrer devido à falta de exercícios, à solidão, à falta de carinho, entre outros motivos. O cão come mais do que o normal como uma forma de compensar essas necessidades;
  • castração: esse é um motivo que faz com que os animais engordem, por isso, se seu cão for castrado, a supervisão deve ser ainda maior.

Quais as consequências da obesidade em cães?

Como já dissemos neste post, um cachorro obeso está mais propenso a adquirir determinadas doenças. Confira quais as principais complicações da obesidade:

  • maior exigência sobre o coração, rins, pulmões e articulações: esses órgãos passam a trabalhar mais intensamente, o que os sobrecarrega;
  • surgimento de diabetes: o excesso de peso facilita o surgimento da doença. O pâncreas passa a trabalhar mais que o normal e desacelera a produção de insulina, levando ao diabetes;
  • aumento de riscos em procedimentos cirúrgicos: animais obesos que têm que passar por alguma cirurgia, geralmente necessitam de uma dose maior de anestesia, além de a gordura em excesso dificultar a visualização dos órgãos;
  • surgimento de doenças articulares: o animal muito pesado força as articulações e passa a ter problemas na mobilidade. Doenças como a artrite podem surgir, comprometendo a qualidade de vida do seu companheiro;
  • falta de fôlego nas atividades físicas: animais obesos carregam um peso acima do normal. Sendo assim, na hora de fazer qualquer exercício eles cansam com facilidade devido ao esforço e não conseguem levar a atividade adiante;
  • aumento da pressão sanguínea: o coração, devido ao excesso de peso, precisa trabalhar mais, bombeando mais sangue, o que pode levá-lo ao aumento da pressão arterial;
  • enfraquecimento do sistema imunológico: a obesidade tende a tornar o sistema imunológico mais frágil, sendo uma porta de entrada para infecções e outras doenças.

Como prevenir a obesidade em cachorros?

A prevenção da doença consiste em oferecer as porções de alimentos adequadas por dia, e o recomendável é que leve seu cão ao veterinário para que ele dê as orientações necessárias. O profissional indicará a quantidade ideal de ração para seu cão. O tamanho e a raça do animal são fatores determinantes para o estabelecimento da dieta.

Outro hábito que previne o surgimento da obesidade é a atividade física. Leve seu cão para passear diariamente. Isso contribuirá muito para a prevenção da doença.

Como identificar e tratar cão obeso?

Se você desconfiar que seu cachorro está obeso, leve-o a uma consulta com o veterinário. O profissional diagnosticará a obesidade observando-o e por meio de apalpações no tórax do animal. Ele, certamente, prescreverá um programa de emagrecimento adequado para seu pet.

O tratamento consiste em modificar a alimentação do animal oferecendo alimentos que contenham menos calorias sem, no entanto, diminuir a quantidade. Isso evitará que o pet sinta muita fome no início do tratamento. Uma boa medida é adotar rações dietéticas na alimentação.

As guloseimas deverão ser retiradas ou, pelo menos, ter suas porções diminuídas. Contudo, dê apenas produtos próprios para cachorros, evite dar pão e biscoitos para consumo humano, esses agrados custam a saúde de seu pet. Acredite, aos poucos ele se acostumará com a redução.

Oferecer bastante água ao animal é outra medida de combate à obesidade, além de fazer bem para a hidratação, ela ajuda na saciedade. Faça isso com frequência.

Por fim, faça com que ele se exercite. Comece a andar com ele e, quando estiver em casa, brinque bastante com ele, essas ações contribuirão para a perda de peso.

Viu como é essencial manter seu pet no peso ideal? Um cachorro obeso pode adquirir sérios problemas de saúde e o mais importante, sobretudo, é prevenir esse, mal. Contudo, se ele estiver realmente com peso extra, trate-o antes de surgirem as complicações. É uma tarefa difícil, mas com dedicação e persistência é totalmente possível. Boa sorte com o seu peludo!

Gostou deste artigo sobre obesidade em cães? Bem útil, não é mesmo? Compartilhe, então, este conteúdo nas suas redes sociais para que seus amigos também saibam os perigos que a obesidade representa para seus amigos de quatro patas.

Fique por dentro das novidades