Você sabe como prevenir doenças de animais de estimação?

Melhores amigos, companheiros, membros da família. Só quem tem um animal de estimação em casa para saber como aquele bichinho é importante. Por isso, o coração chega a doer só de pensar em vê-lo doente ou tendo um problema muito sério de saúde. São infinitos os tipos de doenças de animais que podem atingi-lo, impactando na rotina de toda a casa.

Por isso, é muito importante tomar todo o cuidado e ficar sempre por dentro das principais doenças que podem atingir o seu bichinho. Assim, você será capaz de identificar os sintomas mais rapidamente, aumentando as chances de tratamento e cura.

Para ajudá-lo nessa pesquisa, separamos uma lista com as principais doenças de animais. Confira abaixo.

Raiva canina

Causada por um vírus, a raiva é uma das doenças mais conhecidas entre os animais de estimação. Sua forma de contágio acontece quando um animal, já infectado pelo vírus, entra em contato com outro, por meio de secreções, sangue ou, até mesmo, mordidas.

Seus sintomas são variados, mas causam, principalmente, mudança de comportamento e inquietação nos bichinhos. A perda de apetite e a salivação também são sintomas apresentados em animais com o vírus.

A raiva é uma doença muito grave, praticamente fatal, mas que vem sendo quase erradicada devido ao avanço do tratamento com as vacinas. Porém, devido à sua gravidade, todo cuidado é pouco. A doença também pode ser transmitida para humanos.

Como prevenção, os donos precisam vacinar seus animais a partir do quarto mês de vida. Depois disso, deverá ser feita uma nova aplicação de reforço de um em um ano.

Existem três tipos de raiva canina e os sintomas são diferentes para cada uma delas.

Raiva furiosa

Do tipo mais comum, um animal com raiva furiosa vive em média de 4 a 7 dias depois de contrair a doença. Neste caso, como o nome diz, o cachorro fica muito inquieto, latindo e fazendo muito barulho, podendo, inclusive, perder a voz.

Outros sintomas são: paralisa, convulsões e baba com espuma.

Raiva muda

Aqui, ao contrário da raiva furiosa, o animal fica muito quieto e calmo. Tende a se isolar e a perder o apetite. A paralisia também é um sintoma da raiva muda.

Raiva intestinal

Do tipo mais raro, um animal com raiva intestinal não vive mais que 3 dias depois de contrair a doença. Vômitos e cólicas são os únicos sintomas apresentados neste tipo de raiva, por isso, pode ser mais difícil identificar a doença.

Cinomose

A cinomose atinge, em sua maioria, animais em seu primeiro ano de vida. Transmitida por um vírus, a doença pode ser fatal, pois, uma vez no organismo, tem chance de atingir vários órgãos, provocando uma infecção generalizada.

Seu contágio se dá de duas formas: direta, por meio do contato com um animal infectado, e indireta, pelo ar contaminado ou pelo contato com algum objeto com o vírus alojado.

É necessário atentar-se para os sintomas da doença, afinal, um diagnóstico rápido pode salvar a vida do seu bichinho. A perda de apetite, vômito, diarreia, paralisia, corrimento ocular e nasal, febre e tiques nervosos são sintomas da cinomose.

Outro ponto a ser observado é que os sintomas não aparecem todos de uma vez, eles vão evoluindo de forma gradativa, iniciando, geralmente, em problemas no sistema respiratório e na visão. Em alguns casos, o animal pode até apresentar algum sinal de recuperação, mas isso logo vai passar.

O sistema imunológico do bichinho também vai influenciar em como a doença afeta. Alguns, por exemplo, não manifestam nenhum sintoma, tornando-se transmissores da doença, afinal, o simples ato de passear na rua pode espalhar o vírus no ar.

A cinomose não tem cura. O que os veterinários podem fazer é tratar cada sintoma de maneira separada e observar, com o tempo, como o organismo do animal vai reagindo — e esperar que ele seja capaz de eliminar o vírus, afinal, só ele pode fazer isso.

Porém, os animais que conseguem sobreviver não passam ilesos e, na maioria das vezes, ficam com sequelas, como espasmos musculares ou dificuldade de andar.

A única forma de prevenção à doença é a vacina, que deve ser aplicada quando os animais completam seis semanas.

Leishmaniose

Conhecida como a doença silenciosa, a leishmaniose não manifesta sintomas em mais da metade de seus casos. Por isso, é necessária atenção redobrada aos principais sinais da doença: perda de peso, lesões na pele, unhas crescendo exageradamente, linfonodos inchados, entre outros.

Assim que notar algum desses sintomas no seu animal, procure um veterinário e peça um exame de sangue. O diagnóstico rápido pode ser essencial na hora de ajudar o seu bichinho.

A leishmaniose não tem cura e sua prevenção é feita por meio da vacina. É necessária a realização de três doses para a imunização completa, com um intervalo de 21 dias entre cada uma delas. A aplicação deve ser iniciada a partir dos 4 meses.

Lembre-se que a leishmaniose não é transmissível apenas pelo contato com animais, mas sim pela picada de um animal infectado. Inclusive, é assim também a infecção em humanos. Por isso, é muito importante proteger seu bichinho, afinal, protegendo-o você protege toda a sua família.

Fungos

Falhas no pelo, coceira e descamação são sintomas clássicos da ação dos fungos nos animais. Por serem doenças que podem ser transmitidas ao homem, requerem um maior cuidado e atenção, mas não são graves ou fatais como as citadas anteriormente.

Seu tratamento é feito por meio de medicamentos orais e pomadas. Se houver mais de um animal na casa e apenas um apresentar sintomas da doença, os dois devem ser tratados e imunizados. Em alguns casos, também é necessário fazer uma higienização da casa.

Medicina preventiva

Por fim, lembre-se que a medicina preventiva também funciona para os animais, por isso, é importante manter um calendário de consultas fixas no veterinário. O ideal é que os bichinhos, mesmo saudáveis, façam exames a cada seis meses para prevenção e controle.

Agora que você sabe as principais doenças de animais de estimação, seus sintomas e como preveni-las, leia sobre algumas dicas para prolongar os anos de vida de seu bichinho! Com tanto cuidado agora, seu animal, com certeza, vai lhe fazer muita companhia ainda.

Fique por dentro das novidades